Página Inicial / Geral / Crefes recebe roupas confeccionadas por internos do sistema prisional

Crefes recebe roupas confeccionadas por internos do sistema prisional

A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) realizou, na segunda-feira (12), a entrega de 392 peças de roupas para utilização dos pacientes do Centro de Reabilitação Física do Espírito Santo (Crefes). Os conjuntos foram confeccionados por presos que fazem parte do projeto Costurando o Futuro, e que cumprem pena na Penitenciária de Segurança Máxima I, em Viana. A ação é resultado de uma parceria firmada entre a Sejus e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Assim como a mão de obra, os materiais utilizados para fabricação dos conjuntos – como tecido e aviamentos –, foram custeados pela Sejus. Ao todo, são 136 conjuntos masculinos, incluindo camisa meia malha e bermuda de microfibra, além de 60 conjuntos femininos, com camisa meia malha e bermuda em helanca. As peças foram produzidas nos tamanhos M, G, GG e extra G. O gasto com a confecção dos materiais foi o equivalente a R$ 2.443,12. Menos da metade do valor praticado no mercado, tendo como base atas de registro de preço.

“Temos oferecido aos detentos a oportunidade de se capacitar para o mercado de trabalho. As peças produzidas para o Crefes seguiram um padrão de qualidade, desde a escolha do material até a execução. Isso mostra que a mão de obra do preso é qualificada. Sem contar a economia gerada para o Estado com a execução desse trabalho”, disse o secretário da Justiça, Luiz Carlos Cruz.

Para o diretor geral do Crefes, César Pitanga, a parceria contribui na gestão financeira. “Nós oferecemos o uniforme a todo paciente do Crefes e essa parceria com a Sejus nos permite uma grande economia, considerando que a demanda desse material é alta: cada conjunto tem uma vida útil de 12 meses. A parceria nos permitiu conhecer a qualidade do trabalho com a mão de obra interna e agora queremos avançar, firmando um convênio para aquisição desse material, que nos garante um preço melhor que o do mercado”, afirmou.

Os internos do Costurando o Futuro também são responsáveis pela produção de lençóis e uniformes para todos os detentos do sistema prisional. Parte da mão de obra é remunerada e todos os internos que trabalham têm direito ao benefício da remição da pena, previsto na Lei de Execução Penal. Isso significa que a cada três dias de trabalho, é possível reduzir um dia da pena.

Ressocialização

A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) investe em programas de ressocialização que visam a oferecer trabalho, acesso à educação e qualificação profissional ao preso. O objetivo é prepará-lo para o retorno à sociedade.

Atualmente, mais de 3.500 presos realizam serviços em diversas instituições conveniadas à Sejus, incluindo órgãos do Estado. Entre os trabalhos executados estão reformas, que incluem serviços de alvenaria, pintura, elétrica e hidráulica; além de serviços gerais, jardinagem e capina, entre outros.

Fonte:Assessoria de Comunicação da Sejus

 

Você pode Gostar de:

Supremo retoma discussão sobre possíveis candidaturas sem partido

Dois anos após ter discutido o tema em plenário, o Supremo Tribunal Federal (STF) volta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *